Fernando de Noronha
Diário de Bordo

Fernando de Noronha a dois: uma deliciosa viagem de 7 dias pela ilha

Fernando de Noronha! Não poderia escolher outro destino para esse meu primeiro post. Primeiro porque essa foi uma das minhas últimas viagens e segundo por que era um dos destinos que tinha mais vontade de conhecer. Aquilo que a gente chama de sonho sabe?

Quando se fala de sonho a coisa é mais complicada, pois tem a chance de você se decepcionar com uma coisinha aqui ou ali. Mas em se tratando de Fernando de Noronha, quando você sabe um pouco das condições da ilha, a chance é mínima. E foi isso que aconteceu comigo, não me decepcionei com nada, pelo contrário só me surpreendi. Me surpreendi com a delicadeza e simpatia dos moradores, com a gastronomia formidável, com o clima tranquilo, com a vida marinha tão próxima de você e principalmente com as belezas naturais que chegam a agredir os seus olhos de tão exuberante que são.

Para quem não sabe, o arquipélago brasileiro fica em Pernambuco e é formado por 21 ilhas e ilhotas em uma área de 26 km². Para se chegar à ilha do encanto existem voos por Recife e por Natal. Fiz um day by day da minha viagem com bastante detalhes. Fiquei 7 dias/6 noites no mês de Julho. A época de chuva na ilha é de Fevereiro a Julho, mas o tempo é muito inconstante e uma dica é não acreditar nas previsões dos celulares e internet, porque é sério, o tempo muda a cada minuto. Pelo menos em Julho foi assim.

 

1º DIA – CHEGANDO A FERNANDO DE NORONHA

Melhor e mais bonito pouso que já fiz na vida! Ver os Dois Irmãos e o Pico lá de cima é de tremer as pernas, cair o queixo e ficar em êxtase. Isso antes de pisar na ilha. Com essa entrada triunfal você já começa bem a sua viagem.

A chegada ao aeroporto de Fernando de Noronha é um pouco confusa, por conta da estrutura do próprio aeroporto e por conta do pagamento da taxa cobrada pelo IBAMA a cada pessoa que entra na ilha. Essa é uma taxa ambiental que todo turista deve pagar por cada dia que pretende ficar em Fernando de Noronha. Custa R$51,40 por dia e você pode pagar pelo site www.noronha.pe.gov.br. Uma dica é já pagar antecipadamente, eu fiz isso e economizei bons minutos.

Fernando de Noronha

O transfer já estava incluso no pacote e andamos pela rodovia toda de apenas 6km até chegar na pousada. Me hospedei na Ares de Noronha e o ponto forte do local sem dúvida foi o atendimento. A Andressa nos recebeu super bem com a sua simpatia e com muitas informações e dicas sobre a Ilha. Sua mãe também foi super solícita e a Carla fechou com chave de ouro esse trio, fazendo tapioca e ovos mexidos todos os dias! Café da manhã muito gostoso, localização da pousada excelente, em frente ao supermercado, pertinho da Trilha do Atalaia e próximo a Villa dos Remédios (uns 10min aproximadamente a pé). Fiquei no chalé e curti muito a estrutura. É claro que é simples, mas é muito importante ressaltar isso em Fernando de Noronha, pois a maioria das hospedagens são bem simples. Mas o espírito da ilha é esse, simplicidade!

Como a maioria dos vôos chegam a Fernando de Noronha na parte da tarde, a dica é andar pela redondeza. Fomos andando até a Praia do Meio para ver o pôr do sol. Além da fantástica visão, você ainda conta com a estrutura bem bacana do Bar do Meio. Mas como tudo em Fernando de Noronha, os preços são salgados. Mas faço essa observação não como uma reclamação e sim para orientá-los e precavê-los de que é preciso levar uma boa grana para lá. Depois de ter retornado, entendo a dificuldade que eles possuem para ter todos os serviços e produtos na ilha. A maioria chega a barco, o que leva no mínimo 40h de viagem. Ou seja as coisas não são de fácil acesso, portanto todo o preço que se paga por lá é justo e você é muito bem recompensado pelo excelente atendimento e qualidade. Acho que alguns estabelecimentos em Juiz de Fora deveriam fazer um workshop por lá, só acho! Rs Voltando ao Bar do Meio, eles cobram em torno de R$40 para sentar nos bangalôs, mas nas mesinhas é de graça. Na volta conhecemos a Villa dos Remédios e a sua Igrejinha linda!

Bar-do-Meio-em-Fernando-de-Noronha

Igrejinha-na-Villa-dos-Remédios-em-Fernando-de-Noronha

O restaurante escolhido foi o Bar do Cachorro, ali pertinho mesmo e possui um visual show. O prato escolhido foi Sinfonia de Frutos do Mar, estava muito bom. Ainda pegamos uma musiquinha ao vivo, fechando nosso primeiro dia em Fernando de Noronha com chave de ouro!

 

 

2º DIA – DIA DE ILHA TUR

Essa era a minha maior dúvida antes de ir, fazer ou não fazer o Ilha Tur? A dúvida era porque eu ia ficar um tempo relativamente bom e poderia conhecer cada praia com mais tempo, mas mesmo assim optei pelo passeio e não me arrependi. Pelo contrário, foi ótimo! Vale super a pena! Fizemos com a empresa Na Onda e os nossos guias foram o Tiberius e Amilton, suuuper simpáticos e felizes! Vale a pena porque você conhece todas as principais praias de Fernando de Noronha logo de cara e já fica com aquela sensação de que conheceu o mais importante. E segundo porque você vai acompanhado de guias super profissionais e que te passam informações que você jamais teria se fosse sozinho. Terceiro porque é divertido e você faz muita amizade bacana. A primeira praia a ser visitada foi a eleita a mais bonita do mundo, Praia do Sancho!

Praia-do-Sancho-em-Fernando-de-Noronha

Mas antes de descer a famosa escada que fica dentro da caverna a gente faz um passeio pelo mirante e pela Baia dos Porcos, lindo demais! Depois a gente desce até a Praia do Sancho. A descidinha foi tranquila na minha opinião, ninguém do meu grupo teve dificuldade. Fizemos uma flutuação mas não consegui ver nenhuma tartaruguinha.

Descida-para-a-Praia-dos-Sancho-em-Fernando-de-Noronha

Fomos até a Praia do Leão que é a praia com maior índice de acidentes fatais em Fernando de Noronha. Mas só os desinformados que vão até lá para mergulhar, pois todos sabem que não é uma praia adequada. Portanto vá só para conhecer e tirar fotos.

Próxima parada: Praia do Sueste. É uma praia do mar de fora e ideal para flutuação. No passeio há tempo suficiente para fazer e você ainda tem a companhia do guia, o que te passa uma grande segurança para o caso de querer gritar e pedir ajuda, rs. Mas isso não acontece, vai por mim. É bastante raso, mas por causa do corais você não pode colocar o pé no chão. Vi tartaruga, corais, algas e vários peixes. E use protetor solar! O sol bate forte no seu corpo o tempo todo, principalmente na parte traseira. =)

De lá partimos para o Buraco da Raquel (há 32 motivos para esse nome), que tem um visual incrível, e de quebra você ainda vai no museu do tubarão e tira aquela foto famosa onde a mulher imita uma sereia e o homem o Poseidon.

Mayara-Delgado-e-seu-namorado-no-Museu-do-Tubarao-em-Fernando-de-Noronha

De lá – tchan tchan ran ran -, caímos na Cacimba do Padre! Na minha humilde opinião a mais bonita de todas! Essa foi aquela praia que eu cheguei e falei: Uau, obrigada meu Deus! Ainda tivemos a oportunidade de dar sardinha para as gaivotas que por lá estavam, a cena é ótima! Depois a chuva caiu com força em Fernando de Noronha.

Mayara-Delgado-em-Fernando-de-Noronha

Praia-Cacimba-do-Padre-em-Fernando-de-Noronha

Fomos para o Mirante do Boldró. A intenção era ver o por do sol, mas as nuvens não colaboraram. Acredito que esse seja o melhor pôr do sol da Ilha, porque a vista é fantástica, como tudo em Fernando de Noronha!

A noite fomos no bar e restaurante Flamboyant, 4 estrelas para ele. Os funcionários são sensacionais, a comida deliciosa e o preço muito melhor do que já vimos por aqui, e o ambiente é bastante agradável também, tudo no estilo rock n roll.

Jantar-no-restaurante-Flanboyant-em-Fernando-de-Noronha

 

LEIA TAMBÉM: POUSADA PICINGUABA – UM PARAÍSO ESCONDIDO ENTRE UBATUBA E PARATY

 

3º DIA – UM ALMOÇO MARAVILHA!

Amanhecemos com chuva e por isso adiamos o passeio de barco para o dia seguinte. Fomos almoçar na Pousada Maravilha, que maravilha! Pegamos uma mesa externa com vista para a Praia do Sueste, que vista! O cardápio chegou, que cardápio! Dava vontade de pedir de tudo só para experimentar, mas o meu bolso não me permitia essa audácia. Então eu fui de peixe branco com risoto de funghi e o Bruno, meu namorado, de lagosta com risoto ao molho de limão siciliano. Pedimos uma garrafa de vinho português (Emiliana) e de sobremesa um petit gateau de doce de leite com sorvete de cupuaçu com calda de frutas vermelhas. O atendimento foi nota 1000 também. Recebemos dicas da Cristina que nos atendeu muito bem, dos outros garçons e conversamos com o chef Jonathan que nos passou mais algumas dicas sobre Fernando de Noronha. É um programa caro mas que vale cada centavo!

Mayara Delgado na Pousada Maravilha

Peixe-branco-com-risoto-de-funghi-na-Pousada-Maravilha-em-Fernando-de-NoronhaPetit gateau de doce de leite com sorvete de cupuaçu com calda de frutas vermelhas na Pousada Maravilha em Fernando de Noronha

Depois descemos caminhando até a Praia do Sueste, pertinho. Passamos a tarde lá e fomos ver o por do sol no Mergulhão, na outra ponta da ilha. Pegamos o ônibus (R$ 3,00) e chegamos rapidinho. Gente, o Mergulhão é incrível! Fica em cima do porto e possui uma vista top para o por do sol. O clima lá é uma delicia, músicas no estilo lounge tocando e um cardápio delicioso! Pedimos queijo coalho com melaço e cerveja, assistimos o sol se por e fomos embora.

Mayara-Delgado-e-seu-namorado-em-Fernando-de-Noronha

Queijo coalho com melaço no Mergulhao em Fernando de Noronha

 

LEIA TAMBÉM: AMAZÔNIA PELA 1ª VEZ – 8 ATRAÇÕES IMPERDÍVEIS EM PLENA SELVA

 

4º DIA – PASSEIO A BARCO + PLANA SUB + ALMOÇO EM ALTO MAR

Hoje o passeio de barco tinha que sair e saiu. Foi demais! Fizemos todas as praias do chamado mar de dentro de Fernando de Noronha (a parte da ilha voltada para o Brasil), mas com outra vista, a de quem está em alto mar, então valeu a pena demais. Sem falar nos golfinhos que deram o ar da graça em boa parte do passeio. Descemos na Praia do Sancho para uma flutuação. Água clarinha, consegui ver vários peixinhos! Comprei o pacote do barco + plana sub + peixada, então depois do barco lá fomos nós dar um tibum na água com uma prancha, snorkel e colete sendo puxados – junto com o biquini é claro! – pelo barco. Passeio incrível! Consegui ver tartarugas, peixes, corais, arraias etc, sem falar da aventura de ser puxada por um barco em alto mar. A peixada pós passeio estava ótima também!

Mayara-Delgado-e-Bruno-Dias-em-passeio-de-barco-em-Fernando-de-Noronha

Mayara-Delgado-em-aventura-em-Fernando-de-Noronha

De lá fomos para a Praia do Cachorro e fomos conhecer o tal do Buraco do Galego que tinha visto em várias fotos e tinha achado lindo. É bacana, mas esperava mais, mas já que está lá vale a pena conhecer. A noite fomos no famoso Restaurante do Zé Maria. O ambiente é ótimo, mas confesso que não achei grandes coisas a comida, me decepcionei um pouco. Acho que quando você cria muita expectativa, isso pode acontecer. Mas dizem que o festival gastronômico que acontece mas quartas e sextas é ótimo.

Depois passamos na famosa night de Fernando Noronha, o Forró do Bar do Cachorro. São R$ 20 para entrar e vai até umas 4h da manhã, mas como tínhamos que andar muito no dia seguinte preferimos ouvir o chamado da nossa cama, rs.

 

LEIA TAMBÉM: BUENOS AIRES EM 4 DIAS – O QUE FAZER NA CAPITAL ARGENTINA

 

5º DIA – TRILHA LONGA ATALAIA

Às 10:40 o Amilton, nosso guia gente finíssima estava passando para irmos fazer a Trilha do Atalaia. Fizemos a trilha longa, recomendo para quem tem disposição! Primeiro a gente anda junto com o pessoal da trilha curta até o primeiro ponto, que é a Praia do Atalaia. Fizemos flutuação em uma piscina natural e vimos vários peixinhos. Delícia a piscina! Em maré alta não é possível fazer a flutuação. A Pedra do Atalaia também dá aquele visual ao passeio. Como todas as pedras em Fernando de Noronha, essa também tem um formato e o legal são as histórias que vêm juntas. Dizem que o formato dessa é um soldado sentado vigiando a ilha. Faz uma forcinha que você vai conseguir identificar, rs.

Pedra-do-Atalia-em-Fernando-de-Noronha

Demos tchau para o pessoal da trilha curta e seguimos em caminhada para o nosso próximo destino: outra piscina natural, pra mim bem melhor que a primeira! A água muito mais clara – se é possível isso -e mais opções de vida marinha.

Piscina-natural-em-Fernando-de-Noronha

O retorno depois disso que complica, pois é uma trilha de 2km em cima de pedra. Mas tudo dá certo no final e o visual compensa. O passeio durou das 11h às 16h. Depois fomos até o restaurante Cacimba na Villa dos Remédios por indicação do Amilton. Parabéns para ele, nos deu uma indicação certeira! Atendimento nota 10 e a comida mara!

LEIA TAMBÉM: PORTO RETRÔ – FLAT BOUTIQUE EM PORTO ALEGRE ENCANTA COM DECORAÇÃO VINTAGE E TOQUES CONTEMPORÂNEOS

 

6º DIA – AVENTURA EM 4 RODAS

A ideia era tomar café e alugar um buggy, já que era o nosso último dia em Fernando de Noronha e o céu estava azul. Estávamos tomando café e o moço do buggy apareceu para pegar a chave com o cara do chalé ao lado. Falamos que queríamos alugar e nem precisamos sair de casa. Perfect! Fomos no único posto da ilha para abastecer. Colocamos 12 litros, o que deu R$ 65. A gasolina é cara demais :0. E aí partimos para a Trilha do Abreus. Foi necessário agendar um dia antes e ter o ingresso do parque. A trilha é bem enjoada, pois como tinha chovido no dia anterior era só lama. Ou seja, já era um tênis e muitas atoladas. E tem uma descida até a piscina natural no estilo rapel! Isso mesmo! É um pouco íngreme, então eles colocaram uma corda para facilitar. O visual é lindo! Mas a piscina natural do Atalaia é melhor. Nessa não vi quase nada e tinha muitas pedras.

Trilha-dos-Abreus-em-Fernando-de-Noronha

De lá partimos para a Cacimba do Padre – sim, de novo, porque ela é a minha favorita e merecia mais uma visita. O dia estava lindo e deu para relaxar na praia. Tem uma escadinha em frente aos Dois Irmãos que leva para a praia da Baía dos Porcos. Vale super a pena ir porque é lindo! Visual perfeito! Uma dica: tem um mirante à direita que te leva de frente para os Dois Irmãos. As fotos ficam perfeitas lá!

Dois-Irmaos-visto-da-praia-da-Baia-dos-Porcos-em-Fernando-de-Noronha

Almoçamos no Restaurante das Gêmeas e partimos para um rolé no nosso bugre. Paramos no Espaço Luz para comprar lembrancinha para as mães. Elas são as únicas que são presenteadas por aqui, porque é tudo bem caro e não achei muito interessante. Partimos para a Praia da Conceição para ver o por do sol. Maravilhoso! Adorei essa praia também. É a mais movimentada de Fernando de Noronha, mas bem bacana, e o pico ao fundo da aquele visual.

A noite fomos no Restaurante Varanda do mesmo dono do Cacimba. O ambiente é super agradável e legal. Seguimos as dicas dos garçons (o João foi nota 10!) e pedimos o Gratinado de frutos do mar com queijo e legumes e de sobremesa o brownie de chocolate branco. Fizemos bem, porque estava tudo sensacional! E o preço é ótimo se comparado aos outros restaurantes da ilha – e também pela qualidade dele.

LEIA TAMBÉM: PARQUE ESTADUAL DO IBITIPOCA EM 3 ROTEIROS (PARA 1, 2 OU 3 DIAS)

 

7º E ÚLTIMO DIA – PODE CHORAR?

Nosso vôo estava marcado para às 13h33, mas tínhamos que nos despedir até o último momento da ilha e fomos a Praia do Porto, a mais próxima de nós. Para a nossa surpresa estava acontecendo a marcação das tartarugas feita pelo Projeto Tamar e conseguimos ver uma bem de pertinho e ainda ouvimos algumas informações.

Essa é Fernando de Noronha, superando sempre as suas expectativas e te deixando fascinado até o último momento. Normalmente no final de uma viagem você já vai querendo voltar e vai sentindo saudade da sua casa, mas confesso que dessa vez foi diferente. A sensação que eu tive é que queria fica por pelo menos mais 2 dias e que não estava com saudade da minha rotina e de casa. Espero um dia poder voltar à essa Ilha encantada.

Praia-do-Porto-em-Fernando-de-Noronha

6 COMENTÁRIOS